segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Rampa da Boa Viagem

Este fim-de-semana fomos participar na primeira edição da reedição da Rampa da Boa Viagem organizada pelo Clube de Automóveis Antigos da Figueira da Foz, e com a colaboração da Associação Ferodo Queimado, associação que esteve presente com duas equipas compostas por alguns dos seus Tertulianos, e numa das quais nós estivemos inscritos a Ferodo Queimado Mine.
Desta vez estive presente acompanhado pela Sílvia, tal como em duas provas do ano passado e novamente no Visa Chrono, na sua primeira saída após a reparação do motor. Não me foi possível completar a rodagem nem fazer alguns testes e afinações ao carro tal como pretendia, o que se veio a revelar fatal como à frente vão ver, mas como o objectivo principal era a diversão, estava tudo bem.


Vamos então à prova em si, que começou com a subida de treinos, uma das mais importantes pois é onde se define a escolha dos tempos que iríamos tentar fazer nas subidas de prova tal como tentar memorizar os pontos críticos da prova. Até aqui tudo bem, só que após uns 300 metros da subida fico com o carro em ponto morto pois um dos tirantes do selector da caixa desenfiou-se. Paragem para o colocar e arrancamos novamente para mais uns 300 metros e desta vez ficamos sem acelerador, nova paragem e verifico que um tirante dos carburadores se tinha desenfiado, colocado este no sítio e arrancamos outra vez e mais uns metros à frente novamente em ponto morto com o tirante da caixa novamente desencaixado. Nesta altura já eu deitava fumo pelas orelhas com tanta paragem, novamente colocado no sítio, desta vez com um o’ring suplementar para ver se durava mais e ao tentar arrancar novamente, outra vez sem acelerador pois o tirante do carburador tinha saído novamente, nova saída para o colocar no sítio, e lá vamos nos, desta vez até ao fim, não sem ter levado um separador de plástico e um pino de uma das chicanes à frente também fruto dos magníficos pneus que ainda tenho montados que nos dão a sensação de andarmos sempre em piso molhado.
No intervalo para as subidas de prova tentamos reforçar os encaixes dos tirantes com umas braçadeiras plásticas, pois estes tirantes são encaixados com uns casquilhos de plástico que com os anos e as montagens e desmontagens se vão degradando e perdendo a força para os manter no sítio. Com tudo isto ficamos sem saber onde estavam as células intermédias e muito menos o tempo que conseguíamos fazer entre sectores.
Com tudo isto a concentração e motivação para se tentar fazer uma prova certinha foi à vida e então decidimos que íamos arrancar para a prova com um andamento tranquilo, ver que tempo fazíamos no primeiro sector e depois igualar nos outros dois. A coisa até parecia não ter corrido muito mal pois só no segundo sector é que perdemos uns segunditos, mas ao pararmos no final da subida estava a navegadora de um dos nossos conterrâneos a ralhar com o piloto que tinha vindo a acelerar demais e tinha feito um tempo abaixo do tempo mínimo de um minuto por sector levando com os 5000 pontos da respectiva penalização. Foi aí que verificamos que também nos tínhamos esquecido desse tempo mínimo e o nosso tempo de referência no primeiro sector era 56 segundos, o qual igualamos no terceiro sector e toma lá 10000 pontos que é para te lembrares para a próxima. Faltava assim a segunda subida se prova que foi bem durante uns 400 metros até se começar a ouvir um barulho de qualquer coisa a bater no chão, ao tentar meter outra mudança verifiquei que estava com um outro tirante da caixa desenfiado,
mas pelo menos desta vez tinha ficado com a segunda metida e lá vamos até ao fim sempre em segunda e com o tirante pendurado e com mais 5000 pontos por avanço no segundo sector (tinha faltado este na primeira subida), após a meta lá parámos para mais uma reparação de improviso com a preciosa ajuda do Paulo e do Pedro que participaram num outro Citroen Visa e com uma prova também cheia de peripécias. Valeu-nos umas mines no fim para nos rirmos um bocado com tudo o nos tinha acontecido.
Após tudo isto foi tempo de irmos até ao Casino para o jantar de encerramento, entrega de prémios e ver as bailaronas a dar à perna. Após o qual fomos para uma esplanada em frente festejar as vitórias do Ferodo Queimado na classificação individual e por equipas.
Quanto a nós ainda conseguimos ficar com o 35º lugar em perto de 60 equipas.
Para verem o álbum completo de fotografias visitem como habitualmente o blogue http://ferodoqueimado.blogspot.com